Um caminho nos destroços – 100 filmes dos Anos 90

Senão amanhã, nos próximos dias estará no ar mais uma votação da Cinefilia Brasileira organizada por Pedro Lovallo. A data limite para envio de uma lista com os seus 20 filmes favoritos (com pontuações de 20 até 1, respectivamente, devido à colocação no ranqueamento) ajuda a dar a tônica dos preferidos entre críticos, cinéfilos, cineastas e pesquisadores do Brasil afora. Como já comentei outrora por aqui, acredito que nenhuma lista é definitiva e nem mesmo definidora. O conceito de uma lista é evidentemente ser anárquica, bagunçar uma ordem, estabelecer fraturas e possibilidades para se trilhar um caminho. No fim das contas, uma lista sempre diz mais sobre quem faz ela do que sobre os filmes propriamente. E é também importante se permitir não levar esse exercício tão a sério, visto que, de acordo com o humor que você levanta, um filme pode ou não cair de paraquedas do seu altar.

De ontem para hoje, tenho percebido um movimento um tanto quanto tacanho por parte de quem acredita que uma lista deve apenas conter os filmes “certos”. Por óbvio que esse conceito é subjetivo, mas o que parece estar em questão é que o conceito de uma lista concerne muito mais àquilo que forma o sujeito que a faz do que necessariamente aos filmes que ali se encontram. Com alguma vergonha, é verdade, repito cineastas em minhas escolhas, e escolho por bem deixar de fora os “filmes certos”, aqueles dos grandes mestres que parecem garantir o carimbo das escolhas mais justas. Não há nenhum filme de Rohmer em minha lista, por exemplo. E o único de João César Monteiro que esteve perto de entrar nos 20 foi Passeio Com Johnny Guitar (1996). E isso não se dá, de modo algum, porque desgosto de Conto de Inverno (1992) ou de Vale Abraão (1993). O mesmo valeria para os filmes de Edward Yang, como Um Dia Quente de Verão (1991), ou de Phillipe Garrel e Manoel de Oliveira, como de tantos outros realizadores e realizadoras que não vão ser encontrados por aqui por um simples motivo: faltou-me tempo, paciência, desejo o suficiente para assistir tais filmes a tempo. Mas escolho carregar isto sem culpa, imperfeito, porque até onde acredito, uma lista é sempre imperfeita. De antemão parece preciso dizer que cometi um crime em esquecer de Stan Brakhage, de Black Ice (1994), filme tão fundamental à minha formação, mas esses e outros esquecimentos são também ossos do ofício e do meu tempo de refletir sobre os filmes. Recentemente, também acompanhei muitas coisas de Jean-Claude Rosseau e, na mesma semana, ao formular a lista, joguei ao léu tudo isso, por pura falta de memória. Serei culpado pelo esquecimento ou por não ter julgado os filmes corretos, na ordem correta, sem a virtude de conseguir não ser contaminado pelos colegas e companheiros que são capazes de consumir as obras em um tempo mais hábil que o meu? Não sei. Pode ser que sim. A essa possibilidade, escolherei ignorar. Pois tudo que posso está aqui e, da forma que for, prefiro acreditar na verdade destes filmes do que buscar uma escolha “precisa”, ajustada, como pedem aqueles que permanecem encastelados nas certezas, e que dirá muito mais sobre quem dita regras do que sobre quem procura um caminho em meio a estes destroços.

Seguem os filmes, meus destroços, sem qualquer certeza da ordem. E sem Godard, porque, caso estivesse aqui, seria dono de quase todas as posições.

  1. Kids, Larry Clark, 1995
  2. Vampires, John Carpenter, 1998
  3. Starship Troopers, Paul Verhoeven, 1997
  4. Alma Corsária, Carlos Reichenbach, 1993
  5. The Addiction, Abel Ferrara, 1995
  6. Snake Eyes, Brian De Palma, 1997
  7. True Crime, Clint Eastwood, 1997
  8. L’enfer, Claude Chabrol, 1994
  9. Fuga de Los Angeles, Carpenter, 1996
  10. Sicilia!, J-M Straub/D Huillet, 1999
  11. O Som da Terra a Tremer, Rita Azevedo Gomes, 1991
  12. The Blackout, Abel Ferrara, 1997
  13. Summer of Sam, Spike Lee, 1999
  14. Dazed And Confused, Richard Linklater, 1992
  15. Zefiro Torna: Scenes From The Life of George Maciunas, Jonas Mekas, 1992
  16. Carlito’s Way, Brian De Palma, 1993
  17. Pânico, Wes Craven, 1996
  18. Crash, David Cronenberg, 1996
  19. Point Break, Kathryn Bigelow, 1991
  20. Showgirls, Paul Verhoeven, 1995
  21. La force des choses, Alain Guiraudie, 1997
  22. Black Ice, Stan Brakhage, 1996
  23. Perfect World, Clint Eastwood, 1993
  24. Beau Travail, Claire Denis, 1999
  25. Chungking Express, Wong Kar-Wai, 1994
  26. Dois Córregos, Carlos Reichenbach, 1999
  27. Caro Diario, Nanni Moretti, 1994
  28. Jackie Brown, Quentin Tarantino, 1997
  29. Ossos, Pedro Costa, 1997
  30. Close-Up, Abbas Kiarostami, 1990
  31. The Ambulance, Larry Cohen, 1990
  32. Total Recall, Paul Verhoeven, 1990
  33. Strange Days, Kathryn Bigelow, 1995
  34. He Got The Game, Spike Lee, 1999
  35. New Rose Hotel, Abel Ferrara, 1998
  36. Instinto Selvagem, Paul Verhoeven, 1992
  37. Raising Cain, Brian De Palma, 1992
  38. Fuga Para Odessa, James Gray, 1994
  39. The Colony, Tsui Hark, 1997
  40. Naked, Mike Leigh, 1993
  41. Os Bons Companheiros, Scorsese, 1990
  42. Slacker, Richard Linklater, 1991
  43. Coração de Caçador, Clint Eastwood, 1990
  44. Days of Thunder, Tony Scott, 1990
  45. O Poderoso Chefão Pt. III, Coppola, 1990
  46. Gosto de Cereja, Abbas Kiarostami, 1997
  47. Passeio Com Johnny Guitar, J-C Monteiro, 1993
  48. O Rio, Tsai Ming Liang, 1997
  49. Barton Fink, Joel & Ethan Coen, 1991
  50. Inimigo Do Estado, Tony Scott, 1998
  51. Miller’s Crossing, Joel & Ethan Coen, 1990
  52. Body Snatchers, Abel Ferrara, 1993
  53. Noites Sem Dormir, Claire Denis, 1993
  54. As Pontes de Madison, Clint Eastwood, 1995
  55. Sonatine, Takeshi Kitano, 1993
  56. Missão: Impossível, Brian De Palma, 1996
  57. Safe, Todd Haynes, 1995
  58. Tiros na Brodaway, Woody Allen, 1994
  59. Poder Absoluto, Clint Eastwood, 1997
  60. Ghost Dog, Jim Jarmusch, 1999
  61. Vigilante, O Justo, Ozualdo Candeias, 1992
  62. Kyrie ou O Início do Caos, Debora Waldmann, 1996
  63. Noite Final Menos Cinco Minutos, Debora Waldmann, 1994
  64. A Estrada Perdida, David Lynch, 1997
  65. As Patricinhas de Beverly Hills, Amy Heckerling, 1995
  66. Cure, Kiyoshi Kurosawa, 1997
  67. Batman: O Retorno, Tim Burton, 1992
  68. Combustão Espontânea, Tobe Hooper, 1991
  69. O Viajante, Paulo Cesar Saraceni, 1999
  70. Vício Frenético, Abel Ferrara, 1992
  71. Gremlins: A Nova Geração, Joe Dante, 1992
  72. Election, Alexander Payne, 1999
  73. Rosetta, Irmãos Dardenne, 1999
  74. The Insider, Michael Mann, 1999
  75. Fallen Angels, Wong Kar Wai, 1995
  76. Toy Story II, John Lasseter, 1999
  77. O Sexto Sentido, M. Night Shyamalan, 1999
  78. Seams, Karim Ainouz, 1993
  79. Boyz n The Hood, 1991, John Singleton
  80. Abá, Cristina Amaral, 1992
  81. Horas de Desespero, Michael Cimino, 1990
  82. Cézanne – Dialogue avec Joachim Gasquet, J-M Straub e D-Huillet, 1990
  83. Clockers, Spike Lee, 1995
  84. Segredos e Mentiras, Mike Leigh, 1996
  85. Os Matadores, Beto Brant, 1997
  86. Rushmore, Wes Anderson, 1998
  87. Tudo Sobre Minha Mãe, Pedro Almodóvar, 1999
  88. My Own Private Idaho, Gus Van Sant, 1991
  89. True Romance, Tony Scott, 1993
  90. Reservoir Dogs, Quentin Tarantino, 1992
  91. Titanic, James Cameron, 1997
  92. Pânico II, Wes Craven, 1997
  93. ExistenZ, David Cronenberg, 1999
  94. Crônica de Um Desaparecimento, Elia Suleiman, 1996
  95. Fargo, Joel e Ethan Coen, 1996
  96. LightSleeper, Paul Schrader, 1992
  97. La haine, Mathieu Kassovitz, 1995
  98. Medo e Delírio em Las Vegas, Terry Gilliam, 1998
  99. Velvet Goldmine, Todd Haynes, 1997
  100. Abril, Nanni Moretti, 1998

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s