I’m happy to see you alive

Já faz algum tempo - mais especificamente, desde que passou a viver na Europa - que Abel Ferrara recusa-se a realizar qualquer cinema em que o ensejo principal não seja uma busca de um espaço e de uma amplitude para o corpo poder existir. Foi-se a época em que as imagens poderiam se desvelar aos… Continue lendo I’m happy to see you alive